a partida ‘didática’, entre Capablanca e Steiner

Esta partida foi disputada pelo mestre Capablanca e por Steiner, em 1933, em Los Angeles. Uma partida ‘ao vivo’, em um grande tabuleiro, com pessoas ao invés de peças. Os movimentos podem ser considerados ‘didáticos’ e rendem uma análise crítica!

——- ——-

O jogo de Xadrez é um jogo de estratégia sem informações ocultas, desenvolvido ao longo dos séculos e sem uma origem conhecida com precisão. O Xadrez é praticado em sua forma atual há cerca de um século e meio e suas regras são estabelecidas por organismo internacional específico. Para acompanhar este texto é necessário entender as regras do jogo, saber a disposição inicial das pelas no tabuleiro e seus movimentos e conhecer a norma para registro das jogadas de uma partida de Xadrez.

A figura abaixo mostra as peças em suas posições iniciais. o rei branco sempre à direita, considerando as peças centrai da primeira fileira, com a rainha à sua esquerda. Do outro lado do tabuleiro, rei preto na mesma fileira do rei branco. Depois, bipos, cavalo e torres, do centro para as extremidades. As segundas fleiras ocupadas por peões.

Essa figura também indica letras identificando as colunas e números identificando fileiras. A descrição das jogadas, segundo o métodos mais adotado atualmente, é feita com base na casa do tabuleiro para onde o jogador leva a peça que escolheu movimentar. Quando duas ou mais peças puderem ser movimentadas para uma mesma casa, então se utiliza uma letra para designar a peça a ser movida.

Primeiras rodadas – a abertura dos quatro cavalos

Esta partida então foi disputada em 1933 pelo mestre José Raul Capalanca, campeão entre 1921 e 1927, e por Herman Steiner, em Los Angeles, nos Estados Unidos. Uma partida disputada ‘ao vivo’, peças em suas posições iniciais no tabuleiro de Xadrez com pessoas em lugar de peças e afortunadamente com movimentos que podem ser considerados ‘didáticos’ e rendem uma boa e instrutiva análise crítica!

1. e4 – É um dos melhores lances (juntamente com ‘1. d4’) para iniciar uma partida de xadrez! É uma jogada que não é nem de ataque e nem de defesa, mas de desenvolvimento, ocupando importante casa central do tabuleiro. Além de abrir caminho para o bispo do rei e a dama, ainda ocupa uma das quatro casas centrais, exercendo influência sobre as casas d5 e f5. Quaisquer peças que ocupem essas casas estarão diretamente ameaçadas.

1. … e5 – É um lance que apresenta as mesmas vantagens do lance inicial das brancas. Uma alternativa razoável seria iniciar com o peão da dama, mas o peão do rei não se encontra diretamente ameaçado pelo peão branco!

2. Cf3 – É um lance de desenvolvimento, abrindo um cavalo para o jogo, e de ação central, e é também um lance de ataque. É um lance de desenvolvimento Capablanca vs Steiner porque coloca o cavalo em posição de atuar sobre oito casas do tabuleiro e não mais apenas três como acontecia em sua posição inicial.

É um lance de ação central porque o cavalo atua sobre duas casas do quadrado central (d4 e e5) e é um lance de ataque porque em uma delas está um peão inimigo, em e5, que agora passa a ser ameaçado. A menos que opte pelo sacrifício, as pretas terão que defender o peão atacado!

Este é o melhor ‘primeiro movimento’ para qualquer cavalo! Em sua posição original ele pode se mover para três casas. No caso do cavalo do rei, mover-se para h3 permitiria atuar sobre três casas e mover-se para e2 permitiria atuar sobre cinco casas, mas apenas uma central.

2. … Cc6 – É a melhor defesa ao ataque das brancas ao peão do rei! É um movimento de desenvolvimento no qual o cavalo passa a ter atuação sobre casas centrais e não obstrui a movimentação de outras peças que são usualmente movimentadas nas aberturas.

3. Cc3 Cf6 – As brancas decidem abrir seu segundo cavalo, dominando outras duas casas no quadrado central e também defendendo o peão do rei. As pretas seguem esse movimento e também abrem seu segundo cavalo, agora também lançando ataque direto ao peão do rei branco.

Esta é a ‘abertura dos quatro cavalos’. A figura acima, à direita, mostra a posição das peças ao final da terceira rodada. Nessa figura aparecem claramente os quatro cavalos abertos. abertura dos quatro cavalos Logo abaixo, à esquerda, uma animação mostra as peças que cada jogador moveu em cada uma dessas três primeiras rodadas.

4. Bb5 – O avanço do bispo do rei é uma jogada de desenvolvimento e ao mesmo tempo um lance de ataque, na medida em que abre caminho para um roque pelo lado do rei, mais curto portanto, e também ameaça um cavalo inimigo. É uma mostra de que a melhor defesa é o ataque!

4. … Bb4 – As pretas também avançam seu bispo em jogada com as mesmas vantagens do movimento do bispo promovido pelas brancas. Assim os cavalos que defendiam seus peões agora se encontram ameaçados. Do mesmo modo, brancas e pretas abrem caminho para seus roques. Um contra-ataque como defesa!

Alguns autores consideram que a ‘abertura dos quatro cavalos’ pode ser configurada até a quarta rodada, ou mesmo ainda até a quinta rodada, caso os jogadores não fizessem jogadas idênticas, como acontece neste jogo. Essa abertura é caracterizada pelos quatro cavalos abertos. Nesse caso, a abertura também incluiria os bispos do rei em posição de ataque e possivelmente também os roques de cada lado. Então, mesmo que as jogadas nã acontecessem como aparece aqui nesta partida, mas se os quatro cavalos aparecerem abertos, mesmo que em jogadas intercaladas com esses movimentos dos bispos, por exemplo, ainda assim seria a ‘abertura dos quatro cavalos’.

O meio de jogo

É sempre difícil estabelecer até onde vai a abertura e onde começa o meio de jogo. Tanto quanto, também, é a fropnteira entre o meio e a fase final da partida. Neste caso, em uma partida tão fantasticamente espelhada até aqui, com jogadas idênticas pelos dois oponentes, os roques simultâneos parece demarcar o ponto em que os embates terão início.

E que venha o meio de jogo!

5. O-O O-O – Brancas e pretas rocam então na mesma rodada, em meio ao clima de tensão mantido pelo conflito para o controle das casas centrais do tabuleiro. Ambos rocam pelo lado mais curto, chegando à quinta rodada com um jogo espelhado, com jogadas idênticas!

É muito importante efetuar o roque rapidamente! De preferência o roque curto, ou roque menor, como é denominado o roque desta partida, pelo lado do rei e não da rainha. Assim o rei ficará mais protegido dos ataques inimigos e uma das torres será colocada rapidamente em jogo. Além da torre, também um cavalo e um bispo terão sido movimentados. Alguns autores defendem aguardar um momento adequado, conhecendo melhor as intenções do oponente. Outros, defendem que as brancas devem fazer seu jogo e que as ptretas, sim, devem avaliar o momento mais adequado conforme consigam avaliar as reais habilidades de seu oponente.

6. d3 d6 – Os dois jogadores seguem com lances idênticos, agora lançando mão dos peões das damas como defesa aos peões dos reis, como lances de defesa, e também abrindo caminhos para os bispos das damas entrarem no jogo, como lances de desenvolvimento.

7. Bg5 – As brancas então iniciam movimento de ataque bastante agressivo! O bispo da dama é deslocado para posição na qual trava o cavalo das pretas em f6. Se as pretas decidirem capturar o peão do rei estarão sacrificando sua dama. Além da própria ameaça de captura do cavalo!

7. … Bxc3 – As pretas optam então por uma troca de material que neste momento é quase obrigatória e consiste em boa jogada de defesa. O bispo captura o cavalo da dama e será certamente capturado na jogada seguinte pelo peão do cavalo da dama. Enfrentar a pregadura do cavalo instituída pelo movimento recente do bispo das brancas seria muito desgastante para os peões que defendem o rei.

8. bxc3 Ce7 – Como antecipado acima, o peão do cavalo efetivamente captura o bispo, confirmando a troca de material proposta pelas pretas. A figura à direita mostra a posição das peças ao final desta rodada. Capablanca vs Steiner O cavalo que estava em c6 é recuado para e7 como uma defesa ao ataque pretendido com o movimento do bispo branco para g5.

9. Ch4 – As brancas recuam o cavalo para a casa h4, já que d4 está ameaçada pelo peão do rei. A captura do peão do rei também levaria o cavalo a uma casa ameaçada, neste caso pelo peão da dama. Esse movimento do cavalo, por outro lado, também lhe permite ameaçar o roque inimigo e abre caminho para a dama branca.

9. … c6 – As pretas avançam o peão do bispo da dama para ameaçar o bispo branco em b5 e encerrar sua ação sobre a diagonal c6-d7-e8, que dificultava o desenvolvimento da dama e da torre do roque, além de forçar o bispo a ‘levantar acampamento’.

10. Bc4 Be6 – As brancas movimentam o bispo ameaçado para uma casa que poderia indicar um recuo, mas que na verdade é um ataque direto ao roque inimigo, ameaçando quebrar a linha de peões de defesa. As pretas movimentam o bispo da dama em lance evidente de defesa.

11. Bxf6 gxf6 – As brancas dão sequência ao ataque iniciado contra o roque inimigo, agora capturando o cavalo em f6. As pretas respondem com troca de material que lhes é aparentemente vantajosa, mas perdem um importante peão da linha de defesa do roque.

12. Bxe6 fxe6 – As brancas então capturam o bispo em e6 com o bispo que havia sido ‘recuado’ duas rodadas antes, fugindo da ameaça do peão do bispo da dama. Também ameaçam diretamente o bloqueio do roque. As pretas movimentam o peão do bispo do rei e capturam o bispo em e6.

13. Dg4+ – As brancas deslocam a dama para g4, onde se configura o primeiro xeque da partida e que acontece contra um rei que se encontra quase completamente desprotegido. Capablanca vs Steiner A figura à esquerda mostra a posição das peças no tabuleiro após este movimento das brancas da décima terceira etapa. Esse movimento da rainha é na verdade um ataque duplo, na medida em que além do rei (e do xeque) a rainha também pode capturar o peão em e6 e oferecer uma ameaça devastadora.

13. … Rf7 – Com poucas alternativas, as pretas movimentam seu rei para f7 para reduzir pelo menos momentaneamente o risco de um ataque mais contundente e também para ‘proteger’ o peão ameaçado, abrindo cainho para a torre.

14. f4 Tg8 – As brancas movimentam o peão do bispo do rei e ameaçam o peão preto que atrapalha as intenções da dama naquela região do tabuleiro. As pretas esboçam reação aos ataques sucessivos sofridos recentemente colocando a torre do roque (cuja estrutura foi desfeita) em jogo e ameaçando a dama inimiga.

15. Dh5+ Rg7 – A dama se posiciona para um novo xeque em lance no qual também ameaça o peão em h7. A intenção parece ser forçar o rei para o canto superior direito. Às pretas, resta um movimento de recuo no qual o rei se posiciona em g7, mas também exercendo proteção sobre o peão ameaçado.

16. fxe5 dxe5 / 17. Txf6 – As brancas provocam a troca de peões em e5, correspondida pelas pretas. Em seguida, a torre branca avança, já que o conflito está centrado na região onde havia o roque das pretas, e captura o peão em f6. A figura ao lado, à direita, Capablanca vs Steiner mostra a posição das peças no tabuleiro exatamente após esse movimento das brancas.

17. … Rxf6 – As pretas então capturam a torre com o rei, aproximando-o de posições centrais do tabuleiro. Ao mesmo tempo em que ele pode estar menos protegido, atuando em ‘campo aberto’, ele fica afastado de possíveis armadilhas que o deixem encurralado no canto do tabuleiro.

18. Tf1+ Cf5 / 19. Cxf5 – A torre da dama branca é colocada em jogo, sendo deslocada para f1 e aplicando um xeque sobre o rei inimigo. O cavalo em e7 é acionado para defender o rei, sendo deslocado para f6, prontamente capturado pelo cavalo que acompanhava a rainha branca.

A fase final da partida

19. … exf5 / 20. Txf5+ Re7 – O cavalo é capturado por um peão, mas as brancas logo retomam o ataque levando a torre para f5, capturando esse peão e configurando um novo xeque. O rei preto não tem muitas alternativas e praticamente lhe resta ‘fugir’ para e7.

21. Df7+ – A dama branca então inicia perseguição ao rei inimigo, deslocando-se para f7 e configurando um novo xeque. As diferenças materiais entre os dois oponentes nesse momento são pequenas, mas as brancas apresentam uma vantagem posicional incontestável.

21. … Rd6 / 22. Tf6+ Rc5 – O rei preto ‘foge’ para d6 e sofre novo xeque oferecido pela torre, que se coloca em f6. Ao rei preto resta novamente ‘fugir’, agora para c5. Essa perseguição já mostra que as brancas se encamiham para um golpe final e que às pretas restam poucas alternativas.

23. Dxb7 – A dama branca é deslocada para b7, deixando a torre desprotegida. A dama preta poderia tomar a torre, mas então a dama branca se deslocaria para b4 e daria o golpe fatal. Esta posição das peças está na figura á esquerda. Capablanca vs Steiner A dama em b4 na verdade já é um lance quase inevitável!

23. … Db6 / 24. Txc6+ Dxc6 – A dama preta tenta protelar o inevitável, colocando-se no caminho da dama oponente. Imediatamente a torre se coloca ao lado do rei preto em posição de ameaça de captura quase inquestionável. Resta às pretas capturar essa torre com a dama.

25. Db4# 1-0 – Com o caminho aberto, então, a dama das brancas se coloca em b4 e estabelece o xeque-mate. O rei não pode se movimentar por estar sendo ameaçado pela dama e pelos peões, respectivamente, em c3, d3 e e4 e não há peças que possam conter o ataque.

Fim de jogo!

Comentários finais

A partida foi disputada em um grande tabuleiro com dimensões suficientes para a circulação das pessoas e dos espectadores. Esta foi uma das mais importantes partidas de xadrez, tanto pela sua notoriedade quanto pela qualidade dos lances. Uma foto disponível em chessgames.com, logo abaixo da descrição dos lances, mostra uma cena do início da partida disputada em Los Angeles com pessoas cumprindo as funções das peças, sob as ordens dos grandes mestres. Essa foto pode ser diretamente consultada em chessgames.com/gamephotos/1266710.jpg.

Referências

D’Agostini, O.G. (1954) Xadrez Básico. Rio de Janeiro, Edições de Ouro, 596p.

Eade, J. (1998) Xadrez para leigos. Trad. de Mauro de Campos Silva. São Paulo, Ed. mandarim, 384p.

chessgames.com, J.R. Capablanca vs H. Steiner, 1933.
Disponível em chessgames.com/perl/chessgame?gid=1266710.

——- ——-

Os diagramas estáticos e dinâmicos foram construídos a partir dos recursos oferecidos pelo site apronus.com. Entre teclados de piano e cordas de guitarra virtuais, aulas de música e aulas de inglês e alemão, também um software que permite retratar etapas de partidas de Xadrez.

Outras crônicas sobre este tema podem ser encontrados em xadrez, enquanto partidas interessantes aparecem em partidas notáveis. Uma concepção “atualizada” conhecida como Xadrez agressivo, talvez uma modernização do Xadrez, será em breve explorada em novas crônicas.

Você quer acrescentar comentários? Entre em contato por e-mail e receba instruções.

<< anterior | posterior >>

Sobre quem escreve

Escritor com livro de crônicas publicado em 2021 e livro de contos em 2022. Doutor em Engenharia, professor da UFRGS e pesquisador do CNPq em energias renováveis. Editor convidado em livro publicado pela Academic Press.
Siga no instagram: @alexandrefbeluco