a ‘partida imortal’, entre Anderssen e Kiezeritzky

Essa partida é um exemplo do período “romântico” entre os enxadristas, com “sacrifícios” oferecidos que deveriam ser “gentilmente” aceitos. Anderssen era um dos melhores enxadristas de seu tempo. Um ícone entre enxadristas, a “imortal” é citada no filme Blade Runner.

——- ——-

A partida que entraria para a história como “partida imortal” foi disputada em um intervalo do torneio que ficou conhecido como o primeiro torneio internacional de Xadrez. É um exemplo primoroso do período conhecido como “romântico” entre os enxadristas, no qual “sacrifícios” eram oferecidos e deveriam ser “gentilmente” aceitos.

Adolf Anderssen era considerado um dos melhores enxadristas de seu tempo e era um candidato forte ao título de um torneio disputado em Londres, em 1851, que pela primeira vez reuniria enxadristas de diversas nacionalidades. Lionel Kieseritzky era um enxadrista praticante mas, antes de mais nada, um estudioso. Várias aberturas e jogadas levam seu nome.

A abertura – um gambito de rei, aceito

As brancas couberam à Anderssen. As primeiras duas jogadas envolveram peões. 1. e4 e5 / 2. f4 – Uma abertura usual em meados do século XIX, um “gambito do rei”, no qual um peão é oferecido em favor de um desenvolvimento mais rápido no centro do tabuleiro. Essa abertura ainda é muito comum, mesmo que atualmente gambito bryan existam muitas variantes e muitas novas defesas.

Concluindo a segunda rodada – 2. … exf4 – as pretas aceitam o peão que foi oferecido em troca de desenvolvimento, “como deveria ser”, e o capturam. Esta variante é denominada como “gambito do rei aceito”. Em seu tempo, certamente soaria deselegante não aceitar o peão que estava sendo oferecido.

Os jogadores mostram que querem uma partida disputada palmo a palmo. 3. Bc4 Dh4+ – As brancas deslocam o bisco do rei para c4, possivelmente pretendendo avançar a rainha para h5 e obtendo uma vitória improvável (mas rápida, se bem sucedida). As pretas respondem levando sua rainha para h4, configurando um xeque e forçando o rei branco a se movimentar.

4. Rf1 b5?! / 5.Bxb5 – O rei precisa responder ao xeque e para isso se coloca em f1. As pretas então colocam o peão do cavalo da dama em b5, em lance surpreendente. As brancas naturalmente capturam o peão com o bispo. Esse lance das pretas, considerado muito fraco, é conhecido como “gambito Bryan”. partida "imortal" A figura acima, à esquerda, mostra os movimentos até o final da terceira rodada.

A figura à direita mostra o tabuleiro a esta altura do jogo, quando o peão é capturado. O enxadrista J. Savard, em seus comentários sobre a partida, indica um caminho um tanto diferente, no qual as pretas jogam 3…. b5, seguido de 4. Bxb5 Dh4+ e 5. Rf1. Ao final, as peças chegam às mesmas posições que na versão “oficial”.

Savard apresenta diagramas e comentários detalhados para cada rodada, mas vários erros foram cometidos (já que nenhum outro enxadrista ou comentarista se refere às rodadas conforme indicadas por ele). A partir da oitava rodada, várias diferenças muito importantes aparecem em relação à “imortal”.

Que venha o meio de jogo

O avanço dos cavalos costuma ser associado ao gambito do rei, para proporcionar um desenvolvimento rápido. 5. … Cf6 / 6.Cf3. Neste caso, entretanto, o cavalo do rei branco se movimenta também para ameaçar a rainha branca e forçar as brancas a perder tempo se defendendo.

Na sequência, 6. … Dh6 / 7. d3, a dama recua mas ainda assim mantém um bom domínio da região central do tabuleiro. Um fator que pode se revelar importante em um jogo no qual os jogadores parecem não estar preocupados com a realização de seus roques. Entretanto, o movimento que realmente garante controle na região central é o peão branco em d3.

As pretas levam o cavalo para h5, ameaçando um xeque em g3. Um movimento conjunto com a dama seria esperado, mas esse movimento, de qualquer modo, não é favorável para o cavalo, sempre com movimentos restringidos quando posicionado nas laterais do tabuleiro. 7. … Ch5 / 8. Ch4. As brancas então deslocam seu cavalo para aquela zona do tabuleiro como precaução.

Em 8. … Dg5, a dama preta avança para g5 protagonizando uma movimentação em conjunto com o cavalo e pretendendo obviamente o ataque ao rei inimigo. O próprio Kieseritzky teria dito posteriormente que esse não foi “o movimento adequado”. Alguns sugerem 8. … c6.

Em 9. Cf5 c6, as brancas trabalham para dificultar ou mesmo impedir um ataque ao seu rei e as pretas colocam o peão do bispo da rainha em jogo e ameaçam o bispo em b5, já há algum tempo com ação inoportuna sobre o peão da dama e também indiretamente sobre o rei.

Então 10. g4 Cf6 / 11. Tg1! e as brancas oferecem o bispo em sacrifício em troca de um desenvolvimento vantajoso. As pretas não aceitam esse sacrifício imediatamente, mas o movimento do peão do cavalo seguido da introdução da torre do rei no jogo praticamente liquidam a jogada pretendida pelas pretas. Kieseritzky teria dito posteriormente que após 11. partida "imortal" Tg1 as brancas passaram a dominar o jogo.

11. … cxb5 – As pretas então aceitam ingenuamente o bispo branco oferecido em sacrifício e, para muitos, cometem seu erro fatal! Alguns sugerem que 11 …h5 teria mantido o jogo ainda em equilíbrio de oportunidades.

12. h4! – As brancas avançam o peão da torre para h4, posição na qual será defendido pelo cavalo, e ameaçam a dama preta. O ataque das pretas foi desmantelado e agora pode ser hora de produzir baixas no inimigo.

12. … Dg6 / 13. h5 Dg5 / 14. Df3 – A dama preta precisa recuar e o peão avança mais uma casa, já que estará agora protegido pela dama branca. A dama preta então retorna à sua posição anterior e a dama branca avança para f3, aproximando-se do centro de tensões do momento.

O cavalo recua para g8 – 14. … Cg8 – e desse modo as pretas responde a apenas uma das ameaças das brancas. Com este movimento, as pretas encontram-se todas em suas posições iniciais, com exceção da rainha, também prestes a ter que recuar de sua posição atual.

As brancas, neste momento, podem levar o bispo da dama para f4 e prender a dama preta, que ficará sem posições seguras para avançar ou recuar. As brancas também podem avançar o peão para e5, onde não mais ameaçaria o cavalo, já recuado, mas abriria um ataque da dama à torre em a8.

As brancas movimentam o bispo e as pretas posicionam sua dama em f6, onde antes se encontrava o cavalo. 15. Bxf4 Df6 / 16. Cc3 Bc5. As brancas então colocam o cavalo da dama em jogo e as pretas avançam com o bispo do rei até c5, tentando organizar um novo ataque.

As brancas respondem à movimentação recente das pretas com um contra-ataque! 17. Cd5. O cavalo da dama levado a d5 aponta para 18. Cc7, posição onde ameaçaria ao mesmo tempo um xeque e a captura da torre em a8.

As pretas levam sua dama até b2, 17. … Dxb2, onde tomam um peão e ameaçam capturar a torre branca em a1, tendo como consequência um xeque sobre o rei que está ao lado da outra torre. partida "imortal" A figura ao lado mostra esta posição das peças!

As brancas então movimentam seu bispo e oferecem em sacrifício suas duas torres. 18. Bd6!!. A partir dessa posição, há pelo menos três movimentos equivalentes, com menor sacrifício de material, que seriam: 18. … d4, 18. … Be3 ou ainda 18. … Te1.

W. Steinitz, em 1879, teria sugerido que as pretas deveriam responder com 18. … Dxa1+, que poderia ser seguido com 19. Re2 Db2 e 20. Rd2 Bxg1. O grande mestre G. Kasparov teria dito que o mundo do Xadrez teria perdido muito se esta partida não tivesse seguido por caminhos tão espetaculares!

As brancas optam por capturar a torre com o bispo, sem exercer maiores ameaças sobre o rei inimigo. 18. … Bxg1 / 19. e5! A partir deste lance, a derrota das pretas se torna inevitável! As brancas surpreendentemente avançam com o peão, impedindo que a dama preta proteja o peão em g7.

A rainha preta, de fato, não será mais capaz de retornar e defender eficientemente seu rei. Além disso, o movimento das brancas abre caminho para 20. Cxg7+ com resposta provável em 20. … Rd8, seguido de 21. Bc7#. Um lande de mate já se torna portanto visível no horizonte próximo!

A fase final – para a eternidade!

Quando começa o “final” de uma partida? É difícil dizer e, como não sou um especialista, vou me arriscar com o seguinte critério: é quando o mate se torna uma ameaça concreta. Mas e quando o mate não se concretiza? Ou quando ambos podem chegar ao mate? E – pior – quando nenhum deles consegue definir o embate? Que seja…

As pretas então capturam a segunda torre branca, mas esse ataque a essa altura dos acontecimentos perde o efeito que teria na rodada anterior. 19. … Dxa1+ / 20. Re2. O rei branco evita o xeque se posicionando em e2. As pretas tem a dama e um bispo na última fileira, mas as brancas é que se encontram em condições de desferir um golpe mortal.

As pretas então decidem por – 20. … Ca6 – e este movimento certamente tenta prevenir 21. Cc7, que formaria um “garfo” entre o rei e a torre pretos, como parte de um ataque que seria devastador e definitivo. O movimento 20. … Ba6 seria muito melhor para as pretas.

Alguns contam que Anderssen teria declarado quais seriam seus próximos movimentos e eles nem teriam sido efetivamente disputados. Não houve uma desistência porque o jogo tinha caráter informal. Kieseritzky teria logo em seguida publicado a partida na revista francesa La Régence, mas foi Ernst Falkbeer quem publicou, anos depois, uma análise da partida e a tratou como a “imortal”.

As brancas agora sacrificam sua rainha, coroando uma trajetória que inclui sacrifícios de bispo e duas torres. 21. Cxg7+ Rd8 / 22. Df6+ A figura ao lado mostra a posição das peças após o movimento da dama para a sexta do bispo do rei. Xeque! partida "imortal" E as pretas não podem evitar essa captura!

A partir deste ponto, a partida é citada em momento crucial do filme Blade Runner. J.F. Sebastian é forçado a conduzir Ruy para uma conversa com seu criado, o dr. Tyrrell, na sede da empresa. Eles estão subindo o elevador e são parados, aguardando iberação. Então J-F, jogando com as brancas propõe – 22. Df6+ – a dama para a sexta casa do bispo.

22. … Cxf6 / 23. Be7# 1-0 – As brancas finalizam o cerco ao rei inimigo com o bispo colocado em e7. Ao final, as pretas apresentam muito mais material que as brancas, que caminharam em direção ao golpe definitivo com um caminho marcado por muitos sacrifícios.

Então o dr. Tyrrell se interessa pela sua visita e vai até o tabuleiro. Antes de aceitar a visita, responde com o cavalo – 22. … Cxf6 – capturando a dama oferecida em sacrifício (?). Ao que Roy sugere o lance final – 23. Be7# – o bispo para a sétima da dama. Xeque-mate! O video abaixo mostra esse trecho do filme, em um vídeo com uma seleção de trechos em que o Xadrez é citado.

O xeque-mate acabou sendo configurado com dois cavalos e um bispo, não defendido mesmo com as pretas ainda tendo rainha, torres e bispos. Fim de jogo!

A “imortal” em Blade Runner?

A inserção abaixo é uma montagem com trechos do filme Blade Runner em que o Xadrez é citado. A partir de um minuto nesse inserto, começa a cena na qual J-F e Roy chegam para conversar com o dr. Tyrrell. Eles estão no elevador da empresa, onde Tyrrell ocupa a cobertura. É possível ouvir “queen to bishop six”, e depois “knight takes queen” e finalmente “bishop to king seven, check-mate”.

O filme Blade Runner dispensa apresentações, mas vamos às honrarias. Dirigido por Ridley Scott e lançado originalmente em 1982, não se tornou um sucesso de bilheteria. O roteiro escrito a partir do livro “Do androids dream of electric sheep?”, de Philip K. Dick, não foi respeitado na edição final. Apenas em 2007 foi lançada uma versão que respeitava integralmente o plano original do diretor.

Blade Runner tornou-se, com o tempo, um cult movie, recebeu diversas versões e até uma continuação, Blade Runner 2049, em 2017, bem recebida pela crítica especializada. (Até uma segunda continuação, Blade Runner 2099, estaria em desenvolvimento!) Do filme original e da versão do diretor, uma pergunta – afinal, Deckard era um replicante? – permanece, mas essa é outra história!

Últimos comentários

Retornando à “imortal”, para concluir:

Em 1851, os melhores enxadristas do mundo foram reunidos em Londres para um torneio. O vencedor poderia ser denominado como um campeão mundial, apesar de ainda não existir um Campeonato Mundial de Xadrez. Esta “partida imortal” foi disputada em um intervalo desse torneio.

Lionel Kiezeritsky jogava com as pretas, perdeu a partida e ficou impressionado com o desempenho de seu oponente. Adolf Anderssen venceu o torneio e, de fato, ficou conhecido como o primeiro campeão mundial. Ele desfrutou do status de melhor jogador entre os anos de 1851 e 1858.

Referências

chessgames.com, A. Anderssen vs L.A.B.F. Kieseritzky, 1851.
Disponível em chessgames.com/perl/chessgame?gid=1018910.

Savard, J. The immortal game.
Disponível em web.archive.org/web/20070128210703/…/chess/ch02.htm.

——- ——-

Os diagramas estáticos e dinâmicos foram construídos a partir dos recursos oferecidos pelo site apronus.com. Entre teclados de piano e cordas de guitarra virtuais, aulas de música e aulas de inglês e alemão, também um software que permite retratar etapas de partidas de Xadrez.

Outros artigos sobre este tema podem ser encontrados em xadrez e algumas partidas interessantes aparecem em partidas notáveis. Adolf Anderssen também protagonizou a “sempre-viva” e também houve uma “imortal” disputada por Kasparov. E houve ainda outras partidas memoráveis…

Você quer acrescentar comentários? Entre em contato por e-mail e receba instruções.

<< anterior | posterior >>

Sobre quem escreve

Escritor com livro de crônicas publicado em 2021 e livro de contos em 2022. Doutor em Engenharia, professor da UFRGS e pesquisador do CNPq em energias renováveis. Editor convidado em livro publicado pela Academic Press.
Siga no instagram: @alexandrefbeluco